Programação | CCON
28/08

SÉRIE GRANDES SOLISTAS

SÉRIE GRANDES SOLISTAS

  • SÉRIE GRANDES SOLISTAS

 

Sinopse do evento

SÉRIE GRANDES SOLISTAS

28 de agosto, 20h30 - Série "Grandes Solistas"

Teatro SESI

Fábio Cury, fagote

Mídias Sociais

facebook    youtube

SÉRIE GRANDES SOLISTAS


28 de agosto, 20h30 - Série "Grandes Solistas"

 

Teatro SESI


Fábio Cury, fagote


Laércio Diniz, regente Convidado

 

 

PROGRAMA

 

G.F.HANDEL (1685 - 1759)

Abertura em Sol menor da Ópera "Agrippina"

 

A.VIVALDI (1678 - 1741)

Concerto para Fagote e Orquestra em Mi menor

I.Allegro poco

II. Andante

III. Allegro

 

H. VILLA-LOBOS (1887 - 1959)

Ciranda das Sete Notas para Fagote e Orquestra

 

Intervalo

 

W.A. MOZART (1756 - 1791)

Sinfonia N. 29 em La maior, KV 201


I.Allegro Moderato

II.Andante

III. Minutto - Trio

IV. Allegro com Spirito

 

Solista: Fábio Cury, fagote

Regente Convidado: Laércio Diniz

 

solistas

 

O REGENTE

 

Laércio Diniz é maestro e diretor artístico da orquestra holandesa "New Netherlands Orchestra" e da Orquestra Filarmônica do Brasil. Ele foi bolsista do governo Alemão, tendo aulas, entre outros, com Saschko Gawriloff (Spalla da Orquestra Filarmônica de Berlin); e com o prestigiado quarteto de cordas "AMADEUS", em Colônia. Na Alemanha foi professor de violino e trabalhou com a Heidelberger Kammerorchester, quando atuou como Spalla e solista, realizando, em cinco anos, mais de 500 concertos por todos os países da Europa ocidental. 

De volta ao Brasil, em 1995, ingressou como chefe de naipe da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo. Formou e dirigiu vários grupos de música de câmara, com os quais tem mais de 10 CD´s gravados e realizou concertos na Alemanha e na América do Sul com estes grupos. Foi professor de violino dos mais importantes festivais internacionais de música do Brasil e da Faculdade FMU/FAAM. Em 2005, iniciou sua carreira como regente, tendo como mestres Abel Rocha, Roberto Tibiriçá e Isaak Karabchewsky. 

Laércio Diniz foi maestro e diretor artístico da "Orquestra do Pateo do Collegio"; regente adjunto da Orquestra HSBC; maestro e diretor musical do Festival internacional de São José do Rio Preto. Ele Apresentou-se como Spalla e maestro adjunto da Bachiana Chamber Orchester e nos mais importantes teatros do Brasil.

Em 2008, Laércio Diniz fez a sua estreia internacional como maestro no Carnegie Hall, em Nova York, voltando no ano seguinte à mesma cidade para reger no Lincoln Center, tendo como solistas o pianista de jazz David Brubeck, com grande sucesso de público e de crítica. Regeu também artistas como: Arthur Moreira Lima, Milton Nascimento, João Carlos Martins, Diana King e Cris Brubek. 

Em 2010, regeu as óperas "A Flauta Mágica" de Mozart e "La Serva Padrona", de Pergolesi. Nesse período, foi convidado para gerenciar a orquestra da Companhia de Ópera Brasileira, do maestro John Neschling. Ainda em 2010, criou, no Rio de Janeiro, a Orquestra Filarmônica do Brasil.

A partir de 2011, Laércio Diniz foi convidado para reger várias orquestras brasileiras, patrocinado pelo projeto "Maestro CAPEMISA". Em dezembro de 2011, estreou como diretor artístico e maestro da orquestra holandesa "New Netherlands Orchestra".

 

 

solistas

 

O SOLISTA

 

Fábio Cury graduou-se em fagote na UNICAMP, em 1991, sob a orientação de Paulo Justi e, logo em seguida, na condição de bolsista do Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão (DAAD), integrou até 1994 a classe de solistas do Professor Klaus Thunemann, na Escola Superior de Teatro e Música de Hannover. Recebeu o título de Mestre em Artes pela Universidade Estadual de Campinas, em 1999, e o de Doutor em Música pela Universidade de São Paulo, em 2011. Foi premiado em inúmeros concursos brasileiros, entre eles, em 1987, o Concurso para Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e o VIII Prêmio Eldorado de Música, em 1995. Venceu o Concurso para Fagotistas da Escola Superior de Teatro e Música de Hannover, em 1993, e recebeu, em 2000, em virtude de sua 3ª colocação, uma menção honrosa no Concurso Fernand Gillet, promovido pela International Double Reed Society.

Em 2010, Fábio Cury foi duplamente premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte, a APCA, uma vez que seu CD Velhas e novas cirandas foi escolhido como a melhor gravação e a Camerata Aberta venceu na categoria Música Contemporânea. Gravou música de câmara pelos selos Paulus, Meridian e Brasil Meta Cultural. Em 2009, ele foi contemplado pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, registrou, para o selo Clássicos, o CD Velhas e novas cirandas: música brasileira para fagote e orquestra, interpretando obras inéditas à frente da Amazonas Filarmônica.

Como solista, camerista e professor tem se apresentado e lecionado constantemente em todos os mais importantes festivais brasileiros. No exterior, tem atuado de forma marcante na divulgação do repertório brasileiro, ministrando palestras, dando cursos e apresentando-se como solista e camerista em países como Argentina, Panamá, Canadá e Inglaterra.

No Brasil teve passagens como fagotista principal pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e pela Orquestra Sinfônica Brasileira.

Atualmente, divide seu tempo entre as atividades pedagógica e acadêmica, como professor da Universidade de São Paulo (USP), da Faculdade Cantareira, da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP) e do Conservatório de Tatuí; a Camerata Aberta, grupo de música contemporânea da EMESP; a Orquestra Sinfônica Municipal; e a carreira de solista, apresentando-se frente aos mais prestigiados grupos sinfônicos e camerísticos nacionais.

Fábio Cury é representante da firma Püchner no Brasil e toca com o fagote modelo superior.

 

 

 

A ORQUESTRA


A ORQUESTRA FILARMÔNICA DE GOIÁS, sediada no Centro Cultural Oscar Niemeyer, foi fundada em janeiro de 2012, por músicos oriundos da antiga Orquestra de Câmara Goyazes. Esta orquestra foi criada como instrumento de difusão de obras musicais, escritas especificamente para orquestra de câmara. Ela apresentou-se em diversas cidades e festivais musicais do Brasil, tais como o Festival Vale do Café (RJ); Festival Internacional de Juiz de Fora (MG); Canto da Primavera (Pirenópolis) e Festival Internacional de Cinema Ambiental - FICA - na Cidade de Goiás.  De 2003 a 2007 a Orquestra de Câmara Goyazes esteve sob a direção do violinista Alessandro Borgomanero, voltando, em 2008, à regência do maestro Eliseu Ferreira, que também foi seu titular entre os anos de 1999 e 2003.

Com a extinção da Orquestra de Câmara Goyazes, em dezembro de 2011, o maestro Eliseu Ferreira assina a direção artística da nova Orquestra Filarmônica de Goiás, juntamente com o regente titular Alessandro Borgomanero, apresentando, pela primeira vez na história do Estado de Goiás, uma programação anual de concertos. Na temporada 2012, destacam-se instrumentistas e regentes convidados de renome nacional e internacional, como Emmanuele Baldini, Raiff Dantas, Fábio Cury, Laércio Diniz, Eduardo Monteiro, Luiz Garcia, Neil Thomson, Albrecht Breuninger e Ângelo Dias.

A partir de 2012, a Orquestra Filarmônica de Goiás torna-se realidade, com uma programação anual de excelência, que deverá continuar nos anos vindouros, demonstrando o profissionalismo e a capacidade dos nossos talentos musicais.

 

 

ORQUESTRA FILARMÔNICA DE GOIÁS

 

Spalla: Luciano Ferreira Pontes

Violinos I: Rennan Vicente da Silva, Antônio Marcos Rodrigues , Eliel Moreira Ferreira e Silva

Violinos II: Pedro Silva Cruz (chefe de naipe), Isaac Gonçalves, Alex Teles Faria; Samuel Mark Viveiro

Violas: Cindy Folly Faria, (chefe de naipe) Haendel Santos Silva, Daniel Vieira Lima, Francisco de Assis Nogueira

Violoncelos: Kamylla da Silva Leal Lopes (chefe de naipe), Raphael Leal Gonçalves, Nilson Ramos Magalhães, Cristina Lavrinha Mendes

Contrabaixos: Ricardo Newton Lopes Rodrigues (chefe de naipe), Diuliano Vitor Lucena;

Flautas: Jônatas Ferreira da Silva, Adriana Losi

Oboés: Carlos Antônio de Souza, Néviton de Oliveira Costa

Clarinetas:Edinei Alves de Brito, Carina Bertunes

Fagotes: Luciano Gomes de Oliveira, Michele Bolba Cardoso

Trompas: Rubem Santos Silva, Roberson Silva Gonçalves

Trompetes: Vinícius Cortes do Nascimento, Emanuel Gomes Ferreira

Tímpano e Percussão: José Mário Guimarães

Teclado: Beatriz Pavan

Montador: Felipe Rodrigues

 

 

CENTRO CULTURAL OSCAR NIEMEYER

 

Coordenadora Geral: Ana Elisa Santos

Assessora Administrativa: Nara Velasco

Assessor de Produção: Jason Elias

Designer Gráfico: Nelson Macedo Jr

Editor de Textos: João Aquino

 

Marconi Ferreira Perillo Júnior - Governador

Vilmar Rocha - Secretário de Estado da Casa Civil

Nasr Chaul - Chefe do Gabinete Gestor do CCON