Programação | CCON
06/10

OFG - Temporada 2013

Série “Concertos para a Juventude”

  • Série “Concertos para a Juventude”

 

Sinopse do evento

 Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG) apresenta o terceiro concerto da Série "Concertos para a Juventude", tendo desta vez como regente convidado, o maestro e pianista João Carlos Martins, atual regente da Bachiana Filarmônica. O concerto  acontece no domingo, dia  06 de outubro, às 11h, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, ao qual a OFG está vinculada. 

 

 

Mídias Sociais

facebook    youtube   

 

 

 

OFG 2013 - Concerto

 

Série "Concertos para a Juventude"

 

Esta série acontece no Centro Cultural Oscar Niemeyer, ao qual OFG está vinculada, desde 2012. Essa iniciativa resgata a tradição de concertos nas manhãs de domingo, dedicados às famílias. As apresentações têm entrada gratuita, sempre às 11h.

 

 

Data: 06 de outubro de 2013 - domingo.

Horário: 11h

Local: Centro Cultural Oscar Niemeyer (Av. Jamel Cecílio, 4490 - GO 020, km 01)

Goiânia-GO.  

Entrada:  Troca de 5Kg alimentos não perecíveis por 01 ingresso.

 

Pontos de retirada: Sede da Asmego (Rua 72, esquina com BR153, nº234, Jardim Goiás) 

Sala de apoio da Asmego  no TJ/GO ( Rua 10, 11º andar, sala nº 1111, edifício do Tribunal de Justiça, Setor Oeste)

------------------------------------------------------------------------------------

PROGRAMA

 

BEETHOVEN - Sinfonia nº 5 em Dó Menor Op. 67

MOZART - Concerto para Piano e Orquestra nº 21 

MOZART - Concerto para Piano e Orquestra nº 27

ENIO MORRICONE -  Gabriel's Oboé

Arranjos de José Antonio Almeida e Ney Marques -  Cinema Paradiso                                 

ASTOR PIAZZOLLA     -     Libertango

Arranjos de José Antonio Almeida e Ney Marques

 

 

João Carlos Martins, regência e piano

 

-------------------------------------------------------------------------------------

O REGENTE

 

João Carlos Martins nasceu em São Paulo, no dia 25 de junho de 1940 e iniciou seus estudos de piano aos oito anos, com o professor José Kliass. Aos 13 anos, iniciou a sua carreira no Brasil e aos dezoito, no exterior. Ele ocupa um lugar ímpar no cenário musical brasileiro, tendo sido considerado, pela crítica internacional, um dos maiores intérpretes de Bach do século XX, compositor do qual registrou a obra completa para teclado.

 

Os concertos de João Carlos Martins no Carnegie Hall, sempre tiveram lotação esgotada. Principalmente depois de sua estreia, aos 21 anos, em apresentação patrocinada por Eleanor Roosevelt,

 

Suas gravações estiveram, muitas vezes, entre as mais vendidas. Jornais, como New York Times, Washington Post e Los Angeles Times, sempre dedicaram reportagens entusiasmadas à sua personalidade artística.

 

João Carlos abandonou os palcos, como pianista, no ano de 2002 por problemas físicos. Ele é o único músico brasileiro que teve a sua vida registrada por cineastas europeus por duas vezes: Die Martin's Passion, uma coprodução franco-alemã, dirigida por Irene Langman, assistido por mais de 1 milhão e 500 mil pessoas na Europa e vencedor de vários festivais internacionais; e Revêrie, dos cineastas belgas Johan Kenivé e Tim Herman.

 

Há seis anos, iniciou os seus estudos de regência. Apresentou-se com sucesso em Londres, Paris e Bruxelas, como regente convidado, imprimindo em suas interpretações a mesma dinâmica de quando era pianista.

 

Há cinco anos, fundou a Bachiana Filarmônica e desenvolveu um trabalho com adolescentes, através da sua Bachiana Jovem. Criou a Fundação Bachiana, cujo tema é arte e sustentabilidade. As orquestras foram unificadas, formando a Filarmônica Bachiana SESI-SP.

 

Atualmente, aos 72 anos, João Carlos Martins construiu uma sólida carreira com a sua Bachiana Filarmônica SESI-SP, a primeira orquestra brasileira a se apresentar, em janeiro de 2007, no Carnegie Hall, repetido o feito em 2008. João Carlos e sua Bachiana  retornaram a Nova York  em 2009 e 2010, desta vez no Lincoln Center, levando mais uma vez o nome do Brasil para plateias internacionais.

 

 

 Em 2011, João Carlos Martins voltou aos Estados Unidos, com concertos no Broward Center, em Fort Lauderdale; e no Avery Fisher Hall do Lincoln Center, em Nova York, levando, como convidados, os ritmistas da Escola de Samba Vai-Vai, e juntos mostraram em concertos emocionantes, a influência africana e sua contribuição definitiva para a musicalidade brasileira.

 

 

 

A ORQUESTRA

 

A ORQUESTRA FILARMÔNICA DE GOIÁS, (OFG), vinculada ao Centro Cultural Oscar Niemeyer, ligado à Secretaria de Estado da Casa Civil de Goiás, foi fundada em janeiro de 2012, por músicos oriundos da antiga Orquestra de Câmara Goyazes. Esta orquestra foi criada como instrumento de difusão de obras musicais, escritas especificamente para orquestra de câmara. Ela apresentou-se em diversas cidades e festivais musicais do Brasil, tais como o Festival Vale do Café (RJ); Festival Internacional de Juiz de Fora (MG); Canto da Primavera (Pirenópolis) e Festival Internacional de Cinema Ambiental - FICA - na Cidade de Goiás.  De 2003 a 2007 a Orquestra de Câmara Goyazes esteve sob a direção do violinista Alessandro Borgomanero, voltando, em 2008, à regência do maestro Eliseu Ferreira, que também foi seu titular entre os anos de 1999 e 2003.

Com a extinção da Orquestra de Câmara Goyazes, em dezembro de 2011, o maestro Eliseu Ferreira assina a direção artística da nova Orquestra Filarmônica de Goiás, juntamente com o regente titular Alessandro Borgomanero, apresentando, pela primeira vez na história do Estado de Goiás, uma programação anual de concertos. Na temporada 2012, destacaram-se instrumentistas e regentes convidados de renome, como Emmanuele Baldini, Raiff Dantas, Fábio Cury, Laércio Diniz, Eduardo Monteiro, Luiz Garcia, Neil Thomson, Albrecht Breuninger e Ângelo Dias.

Desde a sua estréia, em abril de 2012, a Orquestra Filarmônica de Goiás

vem cumprindo a sua missão de oferecer ao público um trabalho de excelência artística. Ao longo de suas apresentações vem conquistando o público, confirmando-se assim, um novo capítulo na história da música de concerto em Goiás e no país.

 

 

 

 

ORQUESTRA FILARMÔNICA DE GOIÁS

 

 

Regente Titular: Eliseu Ferreira

 

Diretor Artístico: Alessandro Borgomanero

 

Superintendente da OFG: Ana Elisa Santos

 

Chefe do Gabinete Gestor do Centro Cultural Oscar Niemeyer: Nasr Chaul

 

Secretário de Estado da Casa Civil: Vilmar Rocha

 

Governador do Estado de Goiás: Marconi Ferreira Perillo Júnior